Plano de metas literárias 2017

Esquema de metas literárias pra 2017: planejamento e propósito

Um belo dia resolvi mudar. Mais especificamente esse ano de 2017. Como eu nem lembro da última vez em que estabeleci uma meta de leitura e consegui cumprir, eu arrumei um jeito diferente de lidar com a leitura. Decidi ser mais ousada na minha meta, e ainda planejar ela inserindo foco e propósito.

Tudo começou quando li esse artigo do Lombada Quadrada, porque percebi que as minhas leituras estavam seguindo um grande randoom. Aleatoriedade demais. Não que isso seja errado ou ruim, mas ao final de um ano eu não contemplei gêneros e tipos de livros que acho importante.

Seguindo o fluxo natural, eu não li mais escritoras mulheres, quase não li autores nacionais, nem biografia, nem quadrinhos, etc. Simplesmente quero tentar me sentir mais produtiva literariamente ao fim de 2017. 

Quantidade de livros

Bom, o meu primeiro passo foi decidir quantos livros eu quero ler, no mínimo. A minha tendência nos últimos anos foi colocar a meta muito razoável de 1 livro a cada 30 dias, e não cheguei a atingi-la. Então quer saber? Aprendi com uma amiga que meta tem que ser um desafio e então determinei que eu vou ler pelo menos 20 livros em 2017.

Assim eu saio da possibilidade básica rasteira, mas também não vou pra outro extremo do inatingível.  Vinte livros no ano me parece um bocado razoável. Vai exigir um pouco de empenho e foco, e é exatamente disso que eu tô falando.

Definindo algumas regras

Comecei a pensar em coisas que seriam importantes sobre essa meta literária e fui definindo regras para escolher os 20 livros de 2017, como vocês veem na foto do topo do post. Ao final, decidi contemplar prioritariamente esses nove tópicos:

  • 50% dos livros devem ser de autores brasileiros.
  • 80% devem ser da minha própria biblioteca (#menos1naestante)
  • 40% devem ser de escritoras mulheres
  • 4 deles são livros que eu comecei ano passado e não acabei.
  • 1 livro deve falar de livros
  • 1 deve ser de jornalismo literário
  • 1 deve ser biografia (resposta à minha falha de nunca ler biografias)
  • 1 HQ
  • 1 livro livre :)

Depois que eu montei esse esquema, bateu uma super ultra empolgação pra cumprir as minhas resoluções, não é legal? :)



Livros escolhidos pra o semestre

Depois eu senti que precisava ir mais longe e definir exatamente quais são esses livros. Sempre achei lindo os blogueiros, instagramers e youtubers que sabem tudo que vão ler no mês, mas acreditava que isso não era pra mim. Só que agora eu tinha um plano em mãos, e de repente ficou mais fácil.

Livros que estou programada pra ler nos primeiro semestre de 2017

Livros que estou programada pra ler nos primeiro semestre de 2017

Ainda assim achei que podia ser muito rígido saber em janeiro toda a minha leitura anual, então resolvi escolher os primeiros 10 livros para serem lidos até junho/2017.

Parei na frente da minha estante e comecei a separar os livros que eu estava mais empolgada pra ler (sim, isso também é bem importante). Contei as porcentagens e depois fui afunilando as escolhas, devolvendo alguns livros pra estante.

No final, eu fiquei bem feliz com o resultado (Se você deseja adquirir algum desses livros, compre pelos links abaixo e você ajuda a manter o blog :)

      1. Antologia da Literatura Fantástica, Jorge Luís Borges (org.)
      2. Cem Anos de Solidão, Gabriel Garcia Márquez
      3. Dois Irmãos, de Milton Hatoum – adaptação em quadrinhos [lido]
      4. A Lógica do Consumo, Martin Lindstrom
      5. Um, Dois e Já, da Inés Bortagaray. [lido]
      6. A Máquina de Fazer Espanhóis, Valter Hugo Mãe
      7. A Morte do Gourmet, Muriel Barbery
      8. Não Contem Com o Fim do Livro, Umberto Eco e Jean-Claude-Carrières
      9. Persépolis, Marjori Satrapi – quadrinhos
      10. Os Segredos da Mente Milionária, T. Harv Eker

E até agora tá funcionando!

Li dois livros nesse primeiro mês e isso é ótimo, considerando o meu histórico triste de blogueira de livros que lê pouquíssimo. Tem sido muito legal conversar sobre esse processo todo com outros amigos leitores, e o engraçado é que sempre aparecem indicações imperdíveis pra acrescentar à  lista. E eu me divirto que só.

Um momento muito rico que me abriu possibilidades foi dar essa checada na minha estante com esse olhar. Eu descobri que eu quase não tenho jornalismo literário lá, pouquíssimas biografias, etc. Tenho outra perspectiva pra quando for comprar novos livros.

Estou lutando contra a sensação de que muita coisa ficou de fora pra não atrapalhar muito meus planos. Por exemplo, queria dar um jeito de encaixar algo de Philip K. Dick, o 1984, de George Orwell, algo da Elena Ferrante, etc. Maaaas, vamos seguir firme no método, planejamento e propósito pra ver o que dá.

Vamos juntos?

Se você resolver fazer isso também eu iria adorar trocar ideia. <3

Se você se interessou pelo GTD, o primeiro passo é beber na fonte e ler o livro do David Allen, A Arte de Fazer Acontecer. [comprando pelo link ao lado você ajuda a manter o blog]

Pra acompanhar o meu projeto, se liga lá no Instagram @menos1naestante e poste suas fotos com a hashtag #menos1naestante.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tags deste post: ,

4 Comentários

Join the conversation and post a comment.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *