Do Instagram menos1naestante

Hoje, 25 de julho, Dia do Escritor é a data mais justa que existe. O que seria da gente se não fossem eles? É por culpa deles é que a gente pode escolher um cantinho legal e abrir um livro. E por abrir um livro, leia-se: viver uma aventura, conhecer outras pessoas, achar um lugar no mundo, se emocionar, aprender, ser alguém melhor.

O fato é que as maravilhosas histórias a que temos acesso muitas vezes custam caro para quem as criou. Se tem uma coisa que me impressiona é: como os escritores sofrem! Um trecho do maravilhoso Cartas a um Jovem Poeta, de Rainer Maria Rilke, indica como a atividade é visceral. Observação sempre ratificada pelos escritores quando o assunto é a profissão.

Procure entrar em si mesmo. Investigue o motivo que o manda escrever; examine se estende suas raízes pelos recantos mais profundos de sua alma; confesse a si mesmo: morreria, se lhe fosse vedado escrever? Isto acima de tudo: pergunte a si mesmo na hora mais tranqüila de sua noite:”Sou mesmo forçado a escrever?” Escave dentro de si uma resposta profunda. Se for afirmativa, se puder contestar àquela pergunta severa por um forte e simples “sou”, então construa a sua vida de acordo com esta necessidade. Sua vida, até em sua hora mais indiferente e anódina, deverá tornar-se o sinal e o testemunho de tal pressão.

Então não é algo costumar fluir, vem em cima de muitas crises, questionamentos e sai rasgando. Ao longo da história, tantos que hoje são cânones tiveram suas obras rejeitadas, tem os que só foram reconhecidos depois de mortos. Até hoje o caminho é difícil para novos autores. Por mais que a tecnologia facilite o acesso, pleitear um lote no mercado literário e conquistar os leitores são tarefas árduas.

Logo abaixo, três listas do melhor site em fazer listas literárias, o Flavorwire, reforçam o que eu digo.

Autores famosos rejeitados —-> Imagens (para não restar dúvidas) de cartas de rejeição recebidas por autores famosos. É difícil acreditar que um Lolita, de Nabokov, um On The Road, de Jack Kerouac, ou um livro ilustrado de Tim Burton, The Giant Zlig, tenham recebido um grande e sonoro NÃO. Mas está lá.

10 famosos autores que se suicidaram —–> É muito triste, mas nada raro no mundo da cultura. A literatura é que não ia mesmo escapar. Estão lá nomes como Sylvia Plath, Virginia Woolf, Ernest Heminghway, Hunter S. Thompson só pra começar.

Empregos estranhos de escritores —-> Antes de serem famosos, alguns autores tiveram os mais improváveis empregos. J.D. Salinger foi diretor de entretenimento em um transatlântico sueco de luxo, e Franz Kafka era o secretário-chefe jurídico de acidentes dos trabalhadores.

E, ainda assim, eles não param. Por essas e outras é que hoje é um grande dia.

Dicas do Flavorwire via Dulce.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tags deste post: , , , , , , ,

2 Comentários

Join the conversation and post a comment.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *