“Quando menino, aprendi o truque: para entrar na ducha fria, ligava a torneira, e deixava. Nalgum momento, me tomaria a mim mesmo de assalto e me empurraria assustado para debaixo da catarata. É preciso treino para driblar a si mesmo. É truque que só as crianças conseguem.”

"morning meditation 2". Foto: Agata Lucka-Ahmed

O problema é que quando a gente aprende a se driblar, fica tão difícil desfazer. Vira uma luta cansada contra auto-sabotagem. O trecho é do conto Ave., de Sidney Rocha, integrante da coletânea Tempo Bom. É um texto forte: com essa lembrança inocente, a gente é incapaz de imaginar o que o personagem está prestes a fazer…

Foto de Agata

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tags deste post: , , ,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *